EUA pressionam aliados a banir equipamentos da Huawei em redes 5G

Prestes a lançar seus smartphones ao Brasil, a Huawei anda enfrentando pressões no exterior. Parlamentares dos Estados Unidos estão enviando alertas ao Canadá, sugerindo que o país considere a companhia chinesa “uma ameaça para a segurança nacional e dos seus aliados”. O governo canadense, porém, tem se mantido silencioso quanto a essa questão.

A polêmica em torno da Huawei ganhou força no início deste ano, quando os Estados Unidos declararam a companhia uma ameaça. Segundo os norte-americanos, a empresa teria uma relação estreita com o governo da China, o que poderia colocar em risco a segurança dos dados de empresas e cidadãos do país. Isso, inclusive, fez com que muitas operadoras dos EUA deixassem de vender telefones da marca ou de usar seus equipamentos para construir redes telefônicas.

Ao norte da fronteira norte-americana, porém, os vizinhos canadenses estariam se negando a discutir a questão. De acordo com a publicação do jornal The Globe and Mail, isso teria feito com que senadores norte-americanos enviassem alertas para o governo canadense, chefiado pelo liberal Justin Trudeau. A Huawei transformou o país em um dos seus principais centros de pesquisas para o desenvolvimento do 5G no mundo.

A preocupação norte-americana estaria sendo reforçada pelo cofundador da BlackBerry, Jim Balsille, que recomenda o governo canadense a ouvir os alertas dos Estados Unidos. Já o líder do partido NDP, Nathan Cullen, acredita que o Canadá precisa fazer um debate público para decidir se a Huawei deve ser autorizada a fornecer equipamentos para as redes 5G do país. Para o parlamentar, os aliados estão levantando questionamentos legítimos.

O Canadá faz parte da “Aliança Cinco Olhos”, que é uma rede de inteligência composta também pelos Estados Unidos, Austrália, Nova Zelândia e Reino Unido. Além dos americanos, os australianos também estão próximos de banir o uso de equipamentos da Huawei nas redes 5G do país. O receio é o mesmo: que a companhia vaze informações estratégicas para o governo chinês.

Atualmente, a Huawei é a empresa líder no fornecimento de equipamentos de rede de telecomunicações no mundo e a terceira maior fabricante de smartphones do planeta. A empresa também é considerada uma das principais agentes no desenvolvimento do 5G no mundo, sendo, portanto, uma das principais competidoras de empresas norte-americanas.

5G no centro da questão

Embora os smartphones da marca também tenham sofrido retaliações de operadoras norte-americanas, o principal alvo de preocupações são as novas redes 5G. Além de fornecer altas taxas de velocidade, a próxima geração de redes móveis deve ser vital para tornar real diversos setores da chamada indústria 4.0 e de Internet das Coisas (IoT).

Em outras palavras, as redes 5G devem conectar não somente smartphones como também carros autônomos, soluções de nuvem, equipamentos industriais e outros dispositivos de IoT. Com isso, o volume de dados e informações circulando nessas redes devem superar facilmente os padrões atuais.

Fabricante também atua no Brasil

Embora a Huawei só esteja trazendo seus smartphones para o Brasil em 2018, através de uma parceria com a Positivo, a empresa já atua no país há mais de 20 anos. Por aqui, a fabricante atua justamente no fornecimento de equipamentos para operadoras de telecomunicações desde a privatização do setor.

De acordo com a própria Huawei, a empresa possui cinco escritórios no Brasil e tem mais de 70 mil implementações wireless no país. Além disso, a compahia afirma ter instalado a primeira rede 4.5G do Brasil e ter trabalhado em grandes eventos esportivos e na implantação de cabos submarinos intercontinentais.

Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ